Arquivo da tag: vinicius de moraes

Minha Mãe por Vinicius de Moraes


 Minha mãe, minha mãe, eu tenho medo Tenho medo da vida, minha mãe. Canta a doce cantiga que cantavas Quando eu corria doido ao teu regaço Com medo dos fantasmas do telhado. Nina o meu sono cheio de inquietude Batendo … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com , , | Deixe um comentário

Argumentum Ornithologicum de Jorge Luís Borges


“Eu fecho os olhos e vejo um bando de pássaros. A visão dura um segundo ou talvez menos; não sei quantos pássaros vi. Era definido ou indefinido o seu número? O problema envolve o da existência de Deus:   Se … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

A Brusca Poesia da Mulher Amada II por Vinicius de Moraes


A mulher amada carrega o cetro, o seu fastígio É máximo. A mulher amada é aquela que aponta para a noite E de cujo seio surge a aurora. A mulher amada É quem traça a curva do horizonte e dá … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com | Deixe um comentário

Soneto da Fidelidade – Vinícius de Moraes


De tudo, ao meu amor serei atento Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto Que mesmo em face do maior encanto Dele se encante mais meu pensamento Quero vivê-lo em cada vão momento E em seu louvor hei … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com , | Deixe um comentário

Poema Enjoadinhos por Vinícius de Moraes


Filhos… Filhos? Melhor não tê-los! Mas se não os temos Como sabê-lo? Se não os temos Que de consulta Quanto silêncio Como os queremos! Banho de mar Diz que é um porrete… Cônjuge voa Transpõe o espaço Engole água Fica … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias, Opinião | Marcado com , | Deixe um comentário

Sonetos de Vinícius


Distante o meu amor, se me afigura O amor como um patético tormento Pensar nele é morrer de desventura Não pensar é matar meu pensamento. Seu mais doce desejo se amargura Todo o instante perdido é um sofrimento Cada beijo … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias, Uncategorized | Marcado com , | Deixe um comentário