Arquivo da tag: poesia.net

A.M. Pires Cabral


(Não é apenas em Grijó que escolas são fechadas… nem só por Euros, igualmente. CG) FECHOU A ESCOLA EM GRIJÓ                     ao Frederico Amaral Neves I Dantes ouviam-se as crianças a caminho da escola e eram como pássaros de som … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Espera


Horas, horas sem fim, pesadas, fundas, esperarei por ti até que todas as coisas sejam mudas. Até que uma pedra irrompa e floresça. Até que um pássaro me saia da garganta e no silêncio desapareça. Eugênio de Andrade De As … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com , , | Deixe um comentário

Desde o Chão


A pele porosa do silêncio agora que a noite sangra nos pulsos traz-me o teu rumor de chuva branca. O verão anda por aí, o cheiro violento da beladona cega a terra. Cega também, a boca procura trabalhos de amor. … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Epitáfio


Barcos ou não ardem na tarde. No ardor do verão todo o rumor é ave. Voa coração. Ou então arde. Eugênio de Andrade

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com , , | Deixe um comentário

Metamorfoses da Casa


Ergue-se aérea pedra a pedra a casa que só tenho no poema. A casa dorme, sonha no vento a delícia súbita de ser mastro. Como estremece um torso delicado, assim a casa, assim um barco. Uma gaivota passa e outra … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com , , | Deixe um comentário

Sobre o Caminho (O Branco Fogo do Trigo) de Eugénio de Andrade


Nada. Nem o branco fogo do trigo nem as agulhas cravadas na pupila dos pássaros te dirão a palavra. Não interrogues não perguntes entre a razão e a turbulência da neve não há diferença. Não colecciones dejectos o teu destino … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com , , | Deixe um comentário