Arquivo da tag: John Donne

Love’s Usury by John Donne


For every hour that thou wilt spare me now I will allow, Usurious God of Love, twenty to thee, When with my brown my gray hairs equal be; Till then, Love, let my body reign, and let Me travel, sojourn, … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com , , | Deixe um comentário

The Dream by John Donne


Dear love, for nothing less than thee Would I have broke this happy dream; It was a theme For reason, much too strong for phantasy: Therefore thou waked’st me wisely; yet My dream thou brok’st not, but continued’st it. Thou art … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com , , | Deixe um comentário

O Amor Limitado de John Donne


Algum homem indigno de ser possuidor De amor velho ou novo, sendo ele próprio falso ou fraco, Pensou que a sua dor e vergonha seriam menores Se a sua ira sobre as mulheres descarregasse. E então uma lei nasceu: Que … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias, Uncategorized | Marcado com , | Deixe um comentário

Lovers’ Infiniteness by John Donne


If yet I have not all the   love, Dear, I shall never have it all, I cannot breathe one   other sigh, to move, Nor can entreat one other  tear to fall. All my treasure, which   should purchase thee, Sighs, tears, … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com , , | Deixe um comentário

Ventos de Abril (e outras citações)


“Dai-me ó Senhor, um temor do qual eu não tenha medo.” (John Donne) ……………………………………………………………………………………………………………………. ” Não falo, não suspiro, não escrevo seu nome. Mas a lágrima que agora queima a minha face me força a fazê-lo.” (Lord Byron) ……………………………………………………………………………………………………………………. “Uma … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário

The Baite por John Donne


Come live with mee, and bee my love, And wee will some new pleasures prove Of golden sands, and christall brookes, With silken lines, and silver hookes. There will the river whispering runne Warm’d by thy eyes, more than the … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com , , | Deixe um comentário

THE PROHIBITION by John Donne


  TAKE heed of loving me ; At least remember, I forbade it thee ; Not that I shall repair my unthrifty waste Of breath and blood, upon thy sighs and tears, By being to thee then what to me … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com , | Deixe um comentário

THE GOOD-MORROW de John Donne


I wonder, by my truth, what thou and I Did, till we loved; were we not weaned till then, But sucked on country pleasures, childishly? Or snorted we in the Seven Sleepers’ den? ‘Twas so; but this, all pleasures fancies … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com , , | Deixe um comentário

Soneto Sacro numero 10 de John Donne


Soneto Sacro numero 10 de John Donne (Portuguese) Traduzido ao Portugues por Jonny Kahleyn (juhannusproductions.com) Morte não te orgulhes, embora te hão chamado Poderosa e apavorosa: o que não eres tu; Porque os que pensas ter derrubado, Não morrem, oh morte, e nunca … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com , , , , | 2 Comentários

Carta Pra Você: Os Sinos


  “Nenhum homem é uma ilha, sozinho em si mesmo; cada homem é parte do continente, parte do todo; se um seixo for levado pelo mar, a Europa fica menor, como se fosse um promontório, assim como se fosse uma … Continuar lendo

Publicado em Crônicas & Poesias | Marcado com | Deixe um comentário