Natureza Humana


Caso 1:

Colegas de trabalho. Um homem, dá uma lembrança a uma mulher. É fim de ano. Ela também lhe dera algumas coisas sem luxo ou valor material, durante o ano; assim como dera também a outros colegas, o que a levou a crer que era apenas uma retribuição de gentileza.

Outro colega soube. Os dois têm um passado de disputas por conquistas. Passam a se espinhar. O que deu a lembrança, simula mais intimidade do que tem realmente, quando o outro está próximo.

A mulher “manda recado” por outra colega que certamente não conseguirá guardar um “comentário”, sobre o desconforto da situação e que se fora o caso, chamaria ambos frente a frente para devolver a lembrança e que dividissem entre si, pois ela nunca se pusera na posição de disputa entre eles, muito menos teria por algum deles, interesse de qualquer natureza além do bom andamento no trabalho.

A rivalidade cessa. Todos voltam a agir normalmente e o clima volta à paz.

Caso 2:

Era um homem inteligente, charmoso, atraente, educado, cavalheiro. Passaram  algumas horas conversando. Ela decidiu ir além do tempo que normalmente se demorava em confraternizações, para que tivessem mais tempo para conversar. Juntos, eles riem, divagam, confabulam, se divertem!

Quando ela se despede, ele pede seu telefone, de uma maneira tão atenciosa que ela não pode dizer não. Mesmo arredia a decepções. Mas foi chegar em casa e começou a bipar uma sucessão de mensagens sobre “ver o dia amanhecer” na casa dela, esticando a madrugada, a conversa e … estava claro que ele queria sexo. Decidida, ela mesmo gentil, afastou a possibilidade.

Dias passam. Ela se sente atraída e propõe um café, em um lugar público, para conversarem mais. Ele aceita. Gentil, cavalheiro, educado, ele mantém uma certa distância que depois revela ter reconhecido que ela é conservadora, que com ela, não podia avançar demais, que já reconhecera (e aceitara) isso.

A noite se encerra mais cedo que da outra vez, mas ela torce pelo beijo que realmente veio a acontecer. Ela sabia que se ele a compreendesse, aceitasse seu tempo, mereceria sua atenção. Uma vez que ele demonstrou essa adequação ao ritmo dela, foi quando a ganhou. Ainda sem sexo, mas agora a ideia se tornara promissora.

Caso 3:

Um homem e uma mulher se encontram em seu trabalho. Ele diz o nome dela com a naturalidade de quem realmente esperava encontrá-la. Diz que a procurou outro dia, no horário em que ela não estava (e ele não sabia o horário dela) e perguntou se ela estava a uma outra mulher do recinto. A redarguida diz que ela não está, somente.

Então ele indaga da primeira sobre seus horários no lugar, ela responde, reforça e diz que agora já sabe quando achá-la. Se despedem.

Ao reencontrar a outra mulher, a primeira pergunta se de fato ele perguntara por ela, como dissera. A outra confirma, porém após alguns instantes, emenda que aquele homem não é confiável, que tentara envolvê-la pela cintura em um outro dia.

Então a primeira se dá conta nas entrelinhas da outra, que já tiveram tempo e oportunidade para que a segunda informasse ou comentasse sobre a busca do homem. A segunda ainda “pesca” que não sabe do estado civil dele. A primeira, inocentemente solta que ele é solteiro. Depois se dá conta de que fora sondada.

Comentando com um colega, este conta-lhe que a outra se empenhara em função do homem nas duas ocasiões em que ele estivera buscando a primeira; que por sua vez, recorda que a outra também tem comportamento suspeito, para uma mulher comprometida, com outro homem.

Após algumas horas pensativa, escreve ao homem, se desculpando mas que era melhor cancelarem o encontro.

**************************************

O que podemos aprender sobre a natureza humana a partir destes três casos?

Aguardo as respostas de vocês!

Sobre Carmen Goncalves

Entusiasta da Arte de Escrever!
Esse post foi publicado em Amizade, Crônicas & Poesias, Mundo Feminino, Opinião e marcado , , , . Guardar link permanente.

O que isso lhe fez Pensar?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s