Meu irmão disse uma vez…


Relacionamentos fracassados, quem não os tem?

Particularmente, as regras sociais nunca foram muito claras para mim. Atribua ao signo ou atribua à mim, o fato é que o que está fora da franqueza, lealdade, justiça, honestidade, racionalidade, lógica, é incompreensível para mim.

Uma vez alguém me falou sobre as mentiras sociais, aquelas que “não fazem mal a ninguém” mas que se usa para se adequar a algum contexto: Não compreendo essa razão. Por que alguém se sentiria melhor com a mentira que cobre uma situação embaraçosa a descortinar logo a verdade e sanar o problema?

O fato é que eu não entendo porque as pessoas fazem jogos, enfeitam, criam uma ilusão quando podiam ser francas. Obviamente, se não consigo administrar isso na vida comum, não consigo nos relacionamentos.

Eu entendo que alguém precise de espaço (eu também preciso), eu entendo que as coisas possam não ser somente como eu quero/penso (isso também é óbvio e lógico), eu entendo o que as pessoas DIZEM e se não entender, aceito que não entendi e peço para explicarem. Não se trata de desafio, simplesmente meu cérebro opera cartesianamente.

Popper fala do falseamento da ciência, mas estamos baseados em premissas, sustentado por testes, claro que sempre haverá uma tendência do pesquisador, mas enfim… me dirão que a vida não é um laboratório.

Pois bem, certa vez depois de uma decepção amorosa, meu irmão disse: “Me preocupo cada vez que você termina com um cara.” Perguntei o motivo: “porque cada vez você fica mais fria, mais decepcionada e não vai ser mais como antes”.

Meu irmão tinha razão. Quando divorciei, sofri três meses e meio. Sete anos depois minha dor por uma decepção afetiva durava alguns dias. À porta dos 8 anos, dura algumas horas.

Por que levar mais tempo para esgotar as possibilidades a logo investigar as probabilidades de continuação?

Eu não entendo porque as pessoas gastam tanto tempo investindo na conquista para depois deixarem o troféu empoeirar jogado em um canto qualquer.

Sempre desconfie das pessoas que detonam as que já passaram na vida delas: provavelmente falarão também de você; provavelmente o problema é a pessoa mas ela jogará a culpa em você; provavelmente você também entrará para as estatísticas se aceitar se envolver.

Ainda não entendo os jogos se pode-se ser clara, direta, objetiva e sincera com o outro. Particularmente, talvez prefira não entender. Ou se aceita viver um cenário repleto de pequenas ou grandes mentiras ou… vive-se uma vida inteira, concreta, de verdade.

Eu tenho escolhido viver e provavelmente sou mais feliz assim que mediamente acompanhada.

Sobre Carmen Goncalves

Entusiasta da Arte de Escrever!
Esse post foi publicado em Cidades, Crônicas & Poesias, Diversidades, Mundo Feminino, Opinião e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

O que isso lhe fez Pensar?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s