Se um Gênio me perguntasse…


Se um gênio me perguntasse o que eu queria, lhe diria:
“- Quero amigos leais. Não precisam ser famosos, importantes ao mundo, ricos, nem nada dessas coisas, só precisam ser leais.”
Há um ditado que diz “quem tem amigos não morre pagão”, provérbios de Salomão diz “há amigo mais chegado que um irmão” e no cântico dos cânticos também de Salomão, os amantes se chamam de amigos por inúmeras vezes.
Em “O Poderoso Chefão”, há uma cena em que um homem pede um favor godfather, ao que esse lhe responde o que pode esperar dele no futuro. O homem não entende o que aquilo quer dizer, e o personagem de Marlon Brando lhe diz que se atender-lhe o favor, um dia talvez ele, Don Vitor Corleone, também precisasse de um favor, e o tal homem deveria ter certeza naquele momento, se atenderia o pedido que lhe fizesse, uma possibilidade que talvez nunca chegasse a acontecer, mas, que caso acontecesse, ele já queria saber se poderia contar com a lealdade do novo amigo.
Pois bem, neste distante planeta azul, tenho poucos mas, leais amigos. Conheci muitas pessoas que a seus próprios olhos se achavam grandes, e que este mundo também as via assim, em maior ou menor grau, mas sim, porém estes sempre se revelaram pessoas mesquinhas que cultuavam apenas os seus próprios interesses. Falavam demais, contavam vantagem demais, mas só atendiam a si mesmas e ao que lhes conviesse. Egoístas que no fim da ópera, só queriam mesmo aproveitar-se do que podiam obter de qualquer incauto (a).
Pois bem, meus amigos, não são esse tipo de gente. Foram lapidados nas encruzilhadas da vida, receberam livremente e podem dar livremente, sabem disso. Sabem que nunca os deixaria para trás. Sabem que o que me confiarem, protegerei como fosse minha própria cercania. Meus amigos são leais porque receberam fidelidade e não porque lhes peça, mas enraizou-se uma semente de lealdade, que os levará a me ajudarem e atenderem a algum pedido que lhes faça, dentro de suas possibilidades. Mas nunca neste 34 anos, me negaram o que livremente puderam escolher dar ou não.
Amigos amam. Esse o segredo. Caminho a caminho, os amigos vão aprendendo a amar verdadeiramente, apesar das imperfeições nossas, apesar dos desacordos, das impropriedades. Amam-nos apesar do que somos e amam-nos da forma que somos, como nós a eles. O amor da amizade defende até depois da morte. O amor da amizade doa. O amor da amizade quando desaponta, pede perdão e tudo se reestabelece.
Amantes podem ser amigos, mas amantes que são apenas amantes, nunca poderão confiar plenamente, nunca poderão fechar os olhos e se deixar guiar pelo amor, nunca poderão ser livres para escolherem ser do amor, cativos. Os amantes não amigos, sempre estão desconfiados, inseguros, retendo a qualquer preço o que na verdade, não lhes pertence, e disso eles sabem, mesmo inconscientes.
Então, se eu encontrar um Gênio, eu vou pedir para sempre ter amigos leais. Se ele me perguntar por um amor-amante, vou dizer-lhe que quero um amor-amigo, que pode até ser arrebatador, mas que me dará sempre o que falta neste mundo: companheirismo.

Sobre Carmen Goncalves

Entusiasta da Arte de Escrever!
Esse post foi publicado em Crônicas & Poesias e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

O que isso lhe fez Pensar?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s